↑ Voltar para Aulas

Avançado

Subpaginas Avançado

Avançado

Aulas Avançado

Considerações Iniciais:

Nesta Edição vamos estudar os campos harmônicos maior, menor, menor harmônico e menor melódico, escalas pentatônicas, escalas de blues, improvisação e improvisação com superposição de acordes, construção de acordes  no contrabaixo, e etc. Também vou mostrar os princípios básicos do tapping e alguns exercícios para que você pratique e caso queira desenvolver. Há muitos materiais sobre essa técnica. E também quadro contento todos os harmônicos possíveis no braço do Baixo.  Bom estudo.

AULA Nº 01

ESTUDOS DOS CAMPOS HARMÔNICOS E MODOS

Quando dizemos que estamos tocando uma música em dó maior significa que estamos no tom de dó maior. Na escala de dó, como já vimos anteriormente, existem 7 notas nas quais, usando a mesma  teoria de formação de acordes ( 1º, 2º e 3º grau) partindo de uma nota da escala, formaremos um acorde. Se partirmos do 1º grau ( nota dó), teremos o acorde de dó maior , se partirmos do 2º grau ( nota ré), teremos o acorde de ré menor 7, se partirmos do 3º grau(nota mi), formaremos o acorde de mi menor 7,  e assim por diante .Pois bem, seguindo esse raciocínio na escala de dó formaremos os seguintes acordes:

Esse agrupamento, ou seja essa seqüência de acordes é que damos o nome de campo harmônico ou seja , formaremos os campos harmônicos em cada uma das escalas musicais.

O Estudos dos campos harmônico e seus modos é fundamental  e  de muita importância para compreender a formação dos acordes.

O domínio desta área nos leva a reconhecer qualquer tipo de acorde (Muitas vezes apenas pela cifra) e, através da sua análise, aplicar a escala correta na hora da improvisação. .

Campo Harmônico é um conjunto de acordes que forma uma harmonia. Esses acordes são extraídos de uma só escala estrutural, geralmente a escala jônica. também pode ser chamado de estrutura tonal visto que o desenvolvimento da harmonia está inteiramente ligado ao aparecimento e desenvolvimento do conceito de tonalidade.

Qualquer melodia está inscrita numa determinada tonalidade e tem subjacente um suporte harmônico. Desta forma, toda a tonalidade tem uma estrutura harmônica principal, ou básica: 1º Grau (tônica), 2º Grau (super tônica), 3º Grau (mediante), 4º Grau (subdominante), 5º Grau (dominante), 6º Grau (superdominante) e o 7º Grau (sensível). Os acordes perfeitos (maiores ou menores, consoante a tonalidade em que se inscreve a melodia) que se formam sobre estes graus da escala (que é o fundamento da tonalidade) é que vão definir a estrutura do acompanhamento harmônico que está subjacente à melodia.

Campo Harmônico maior/e Menor Natural

O campo harmônico é constituído por 7 tétrades formadas com as notas de cada tom, o relativo menor possui os mesmos acordes do relativo maior, porem o ponto de partida(chamado de 1º grau é diferente). Logicamente, isto é valido se estivermos usando as escalas maior e a menor natural e não a menor harmônica e menor melódica. Vale citar que não vamos analisar campos harmônicos baseados em tríades, porque os acordes formados por três sons já estão implícitos na maneira como o assunto é tratado. Apenas devemos lembrar que quando incluímos as sétimas nos acordes do campo harmônico maior , as tétrades do I e IV grau ficam idênticas, com 7M, mas o V grau se diferencia destes porque possui a 7m. Os acordes menores passam a ter 7m; possuem, portanto a mesma tipologia, enquanto que o VII grau passa a ser meio-diminuto. Entretanto, apesar do I e IV graus terem os mesmo tipos de tétrades, as escalas usadas nesses pontos não são iguais. O mesmo vale para o II, III e VI graus, todos acordes menores com sétima menor, porém as escalas usadas em cada grau devem ser distintas. Seguem aqui o campo harmônico de dó maior e o de lá menor natural. Nesses dois casos a mudança de oitavas acontece apenas para acomodar as notas do pentagrama de maneira mais pratica , facilitando a leitura. Para melhor entendimento do assunto, é interessante que o aluno monte os campos harmônicos em todos os tons e seus relativos menores, para perceber que a tipologia dos acordes permanecerá inalterada, qualquer que seja a armadura da clave.  Veja

Modos

Os modos são escalas formadas dentro de um campo harmônico. Um bom improvisador deve dominar os modos em todas as tonalidades, sabendo de antemão as notas que devem ser evitadas e as que criam tensões, dando a característica do modo.

Prestando-se  atenção às tensões de cada modo, concluiremos que os quatro campos harmônicos maior, menor natural, menor melódico e menor harmônico, mostram s-e todos os tipos de acordes existentes.

Na verdade, isso produz cinco novas escalas – e não sete, já que o Jônio e o Eólio coincidem com as escalas diatônicas naturais maior e menor respectivamente. Essas cinco novas escalas constituem alternativas à estrutura melódica e harmônica das escalas diatônicas.

Modos e escalas possuem aplicações diferentes. As escalas determinam a harmonia e os modos expressam as variações melódicas. Para se saber se um modo é maior ou menor basta olhar para o intervalo entre a 1ª e a 3ª notas. O Lídio e o Mixolídio são, na verdade, maiores, enquanto o Dórico e o Frígio são menores. O Lócrio é incomum, na medida em que seu acorde de tônica é “Diminuto”. A atmosfera geral do modo pode ser ouvida executando-se acordes construídos sobre seus graus, apenas com as notas que o modo contém.

Modo Jônio

É o primeiro grau da escala, foi o predecessor da escala maior diatônica. Possui a mesma seqüência de intervalos e, portanto, a mesma sonoridade. Tem como notas de tensão a 9ª maior (ou 2ª ) e a 6ª maior(13ª), e a 4ª como nota evitada

Modo Dórico

É o 2º grau da escala, portanto um modo menor. Difere da escala menor natural (eólio) apenas na 6ª nota, que recebe um sustenido. Muito adequado para seqüências de acordes menores (por exemplo Im, Iim, III, IV, Vm, VII), que adquirem assim, um toque jazzístico. Tem como notas de tensão a 9ª maior ou(2ª) e a 11ª ou(4ª), e como tensão característica,  a 6ª maior.

Modo Frígio

Outro modo menor, é o terceiro grau da escala maior, praticamente idêntico à escala menor natural (eólio), exceto na 2ª nota, que é bemolizada (Db). Esta nota é ouvida como “9ª bemolizada” quando acrescentada a um acorde de tônica com sétima menor. Tem como notas de tensão a 4ª (ou a 11ª) e a 13ª menor(ou 6ª), e como nota de tensão característica,  a 2ª menor (ou 9b).

Modo Lídio

4º grau da escala maior,  um modo maior. Difere da maior diatônica (jônio) por possuir um sustenido na 4ª nota. É uma escala maior com (#4). Tem como notas de tensão a 9ª maior (ou 2ª) e a 6ª maior (ou 13ª), e como nota de tensão característica, a 4ª aumentada

Modo Mixolídio

5º grau da escala maior. O modo  mixolídio  possui a 7ª nota bemolizada. É o que diferencia da escala maior diatônica (jônio). Na verdade, trata-se de um dos modos utilizados com maior freqüência para improvisação no Blues e no Jazz.

Tem como notas de tensão a 9ª maior(ou 2ª) e a 6ª maior(ou 13ª), e como nota de tensão característica , a 7ª menor. A 4ª é usada nos acorde de 7ª e 4ª.

Modo Eólio

Este modo foi o predecessor da escala menor natural diatônica, é o 6º grau da escala maior. Possui a mesma seqüência de intervalos e, portanto, a mesma sonoridade. Tem como notas de tensão a 9ª maior(ou 2ª) e a 11ª(ou 4ª)

Modo Lócrio

É o 7º grau da escala maior. Todas as notas desta escala são bemolizadas, com exceção da tônica (I grau) e da 4J (IV grau). Dos sete modos este é o menos utilizado na música ocidental, mas desempenha um papel importante nas músicas Indiana e Japonesa. Tem como notas de tensão a 11ª(ou a 4ª) e a 13ª menor(ou a 6ª), e como notas de tensão característica a 2ª menor e a 5ª diminuta

Aula nº 02 -

Digitação dos modos no campo harmônico de dó maior:

 

digitação dos modos

 AULA Nº 03

Agora vamos estudar o Campo Harmônico menor harmonico:

Campo Harmônico Menor Harmônico

Como exercício, é interessante que o estudante monte também os campos menores harmônicos em todos os tons

Nova Imagem (1)

Escalas no Campo Harmônico menor Harmônico

 Coloquei essa escala em forma de desenho no braço do baixo (lembre-se para interpretar o desenho lê-se da direita para esquerda contanto os quadrinhos). No primeiro exemplo está a escala de Lá menor Harmônico, para que você visualize melhor o posicionamento da mão esquerda , inicia-se com o dedo 1 na casa 5 (nota lá), e também verifique os modos correspondentes a cada grau da escala.

Nova Imagem (2)

 AULA Nº 04

Modos do Campo Harmônico Menor Harmônico

 Im(7M) –  Menor Harmônico

 

1º grau da escala menor harmônica,  alguns autores  chamam também de Eólio 7M, tem como notas de tensão a 9ª maior(ou 2ª) e a 11ª (ou 4ª), como nota de tensão característica a 7ª maior, e a 6ª menor como nota evitada.

 IIm7(b5) – Lócrio 6ª maior

2º grau da escala menor harmônica, tem como nota de tensão a 11ª (ou 4ª) e como tensão característica a 2ª menor (ou 9ª menor) e a 6ª maior

 

III 7M(#5) – Jônio 5ª aumentada

 

3º grau da escala menor harmônica, tem como notas de tensão a 9ª maior(ou 2ª) e a 6ª maior, como notas de tensão característica a 5ª aumentada e a 7ª maior, e como nota evitada a 4ª (ou 11ª).

 

 IV m7(#11) – Dórico 11ª aumentada

 

4º grau da escala menor harmônica, tem como notas de tensão a 9ª maior(ou 2ª) e a 6ª maior, e como nota de tensão característica a 11ª aumentada.

 V7 – Frígio Maior

 

5º grau da escala menor harmônica, (alguns autores também chamam de Mixo b9 e b13), tem como notas de tensão a 9ª menor(ou 2ª) e como notas de tensão característica a 6ª e a 7ª menores. A 4ª (ou 11ª) apesar de ser uma nota evitada, é usada em acordes de 7ª e 4ª(b9).

 

 VI 7M – Lídio 9ª Aumentada

 

6º grau da escala menor harmônica, tem como notas de tensão a 9ª aumentada e a 6ª maior, e como notas de tensão característica a 4ª aumentada e a 7ª maior.

 

 VIIº – Diminuto do 7º Grau

 

7º grau da escala menor harmônica (alguns autores também chamam de lócrio diminuto), tem como nota de tensão a 6ª menor, como nota de tensão característica a 4ª diminuta(3ª maior) e como nota evitada a 2ª menor

 

AULA Nº 05

Campo Harmônico Menor Melódico

 

Assim como foram montados os acordes possíveis a partir da escala menor natural e da menor harmônica, podemos também montar os acordes possíveis para escala menor melódica. Devemos citar que a escala do sétimo grau (alterada) normalmente não será aplicada em acordes meio-diminutos, sendo mais comum seu uso  sobre acordes dominantes com 9b,9#, 11#e 13b. Observe  no exemplo abaixo os acordes gerados com a escala de Lá menor melódica. Da mesma forma acima é necessário que você monte os campos harmônicos da menor melódica em outras tonalidades.(observe que, novamente, só temos aqui as tétrades resultantes ; as tríades estão implícitas

Nova Imagem (3)

 

Escalas no Campo Harmônico menor Melódico

 

Nova Imagem (4)

 AULA Nº 06

modos no Campo Harmônico Menor Melodico:

 

I m(7M) – Menor Melódico

 

1º grau da escala menor melódica,  alguns autores  chamam também de Dórico 7M, tem como notas de tensão a 9ª maior(ou 2ª) e a 11ª (ou 4ª), como nota de tensão característica a 6ª maior e a 7ª maior.

 

II m7 (6) – Dórico bemol 2

 

2º grau da escala menor melódica, Alguns autores chamam de Frígio 6, tem como nota de tensão a 11ª (ou 4ª) e como tensão característica a 2ª menor (ou 9ª menor) e a 6ª maior.

 

III 7M(#5) – Lídio com 5ª aumentada

 

3º grau da escala menor melódica, tem como notas de tensão a 9ª maior (ou 2ª) e a 6ª maior, e como notas de tensão característica a 5ª aumentada e a 11ª aumentada ou(4ª ).

 

IV7 – Lídio Bemol 7

 

4º grau da escala menor melódica, alguns autores também chamam de Mixo 11ª tem como notas de tensão a 9ª maior (ou 2ª) e a 6ª maior, e como nota de tensão característica a 11ª aumentada.

 

V7 -  Mixolídio bemol 6 ou (b13)

 

5º grau da escala menor melódica,  tem como nota de tensão a 9ª maior(ou 2ª), e como notas de tensão característica a 6ª e a 7ª menores. E como nota evitada a 4ª (ou 11ª).

 

 Vm7(b5) – Eólio Bemol 5

 

6º grau da escala menor melódica, tem como notas de tensão a 9ª (ou 2ª) e a 4ª (ou 11ª), e como nota de tensão característica a 6ª menor. É conhecida também por Lócrio 9ª maior.

 

VII m7(b5) – Superlócria (Escala alterada)

7º grau da escala menor melódica, tem como nota de tensão a 4ª diminuta(3ª maior) e a 6ª menor, como nota de tensão característica a 2ª menor (ou 9ª). Este grau da escala pressupõe um acorde 7(b5, #5, b9, #9) e portanto a 3ª maior não seria uma tensão, mas sim nota do acorde. Nestes casos as tensões seriam: b5, #5, b9, #9.

 

5 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. wilson luis gomes

    mano com todo respeito vc realmente merese o conhecimento que tem. eu fico pensando se todos pensase asim como vc teriamos um mundo melhor de igualdade e conhesimento vc e um grande profesor de musica to comesando a tocar contrabaixo e fiquei muito empolgado com vc queria saber mais sober vc e sua escola de musica.

    1. brito

      Vallew amigo muito obrigado! Amigo, eu sou baixista de numa Banda show aqui de maringá pr- faço “free lance” pra duplas sertanejas da região e trabalho na escola de Musica Belas Artes. no mais axo q é só isso. rss!! qualquer coisa, dúvida comunique com a gente ! Abraços

  2. Richard

    Realmente temos que valorizar, estou aprendendo muito cm você.
    Parabéns continue passando conhecimento, vou precisar rss!!.

  3. Thiago

    Gostei muito da aula e estou esperando mais postagens. Parabéns.

  4. wholesale bags

    Avançado » Aulas de Contrabaixo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>